Fenacor

SITES RESPONSIVOS PARA CORRETORA
E CORRETORES DE SEGUROS
FAÇA SUA INSCRIÇÃO

Sites Responsivos

Adequam-se a tablets e smartphones.
CONHEÇA OS MODELOS

Sites Personalizados

Caso queira algo diferente podemos desenvolver um site totalmente personalizado.

CONSULTE-NOS

Instalação e manutenção do conteúdo do site

Você não precisa se preocupar em criar o seu site, esse é o nosso negócio.
Basta nos enviar todo o contéudo necessário e nós ativamos o seu site.
A atualização de conteúdo é por nossa conta, você só precisa nos enviar a solicitação.

Valores


TAXA DE INSTALAÇÃO DO SITE PADRÃO
R$ 249,90 (parcela única)

MENSALIDADE
Corretor Associado:
R$ 34,90

Corretor não associado:
R$ 39,90

MODELOS

Site responsivo ajustam-se à tela do aparelho eletrônico utilizado reposicionando os elementos do site, a fim de mantê-lo funcional em vários formatos e tamanhos de tela.

ESCOLHA SEU MODELO

Clique nos botões abaixo e veja as cores dos modelos e um exemplo de como ficará seu site.

Clique nos botões abaixo e veja as cores dos modelos e um exemplo de como ficará seu site.

Clique nos botões abaixo e veja as cores dos modelos e um exemplo de como ficará seu site.

Clique nos botões abaixo e veja as cores dos modelos e um exemplo de como ficará seu site.


Notícias do Mercado de Seguros

Meirelles comemora prévia do PIB, mas não descarta retração no 2º trimestre
Seg - Setembro 11, 2017 6:40 pm  |  Artigo Acessos:835  |  A+ | a-
Fonte: G1

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles comemorou nesta quinta-feira (17) o resultado da "prévia do PIB", índice do Banco Central que apontou crescimento de 0,25% da economia brasileira no 2º trimestre. Ele, no entanto, não afastou a chance de uma retração do Produto Interno Bruto (PIB) medido pelo IBGE no período, conforme projetado por parte do mercado.

"Independentemente de ser pouco acima de zero, zero, ou um pouco abaixo, o índice do Banco Central já mostrou um crescimento forte", disse Meirelles. Ele reafirmou, entretanto, que a economia já está em processo de recuperação e que o país "já voltou a crescer".

Ele explicou que as metodologias do BC e do IBGE são diferentes e que o resultado oficial do PIB do segundo trimestre, que será divulgado no dia 1º de setembro, também virá pressionado pelo resultado do 1º trimestre.

"O IBGE pode dar um índice próximo de zero e quem sabe até um pouco negativo [no 2º trimestre] por causa do índice de crescimento muito forte no primeiro trimestre"

A economia brasileira cresceu 1% no primeiro trimestre, após 8 trimestres consecutivos de queda, puxada fortemente pelo agronegócio, cujo forte resultado não deve se se repetir no 2º trimestre.

Apesar da melhora nos números da indústria, comércio e serviços, analistas destacam que o consumo das famílias e os investimentos continuam fracos, dificultam uma recuperação mais forte do PIB.

Para o ano de 2017, a previsão oficial do governo é de uma alta do PIB ao redor de 0,5%. Segundo Meirelles, o país entrará em 2018 com um ritmo de crescimento anual mais forte, "perto de 3%" e com a "criação sólida de empregos".

A média do mercado financeiro projeta crescimento de 0,34% em 2017, segundo a pesquisa Focus do Banco Central. Para 2018, os economistas das instituições financeiras estimam uma expansão de 2%.
Top